Share Button

Homens de Verdade  (mp3)  (pdf)

Várias palavras bíblicas identificam homens. Muitas vezes, “homens” são simplesmente seres humanos, e a palavra se refere aos descendentes de Adão e Eva – sejam do sexo masculino ou feminino. Outras vezes, as palavras usadas se referem a qualidades conhecidas como características de adultos do sexo masculino. Em algumas traduções da Bíblia, a palavra varão é usada para comunicar este sentido.

Em 1 Coríntios 16:13-14, Paulo exortou os irmãos, homens e mulheres, com estas palavras: “Sede vigilantes, permanecei firmes na fé, portai-vos varonilmente, fortalecei-vos. Todos os vossos atos sejam feitos com amor.” Vamos considerar este desafio de nos comportar “varonilmente” – como homens de verdade.

Varões no Novo Testamento

A palavra grega aner, que significa homem (macho), aparece centenas de vezes no Novo Testamento. Às vezes, ela simplesmente identifica algum marido ou homem, como o varão macedônio que Paulo viu numa visão (Atos 16:9). Em Atos 10:30, a mesma palavra é usada para descrever o anjo que Cornélio viu (cf. 10:3). Várias vezes, refere-se a Cristo, o “varão aprovado por Deus” (Atos 2:22; cf. 17:31; João 1:30). Nestes e vários outros trechos, um varão ou homem é um adulto do sexo masculino.

Encontramos palavras no Novo Testamento que usam a idéia de varões ou comportamento de varões para mostrar como os discípulos de Jesus devem agir. Vamos dedicar o resto deste estudo ao comportamento de varões. Como nós – homens, mulheres e jovens – devemos agir para nos portar “varonilmente”?

Demonstrar Domínio Próprio

Uma diferença entre homens e meninos é o domínio próprio que o adulto deve demonstrar, mas que normalmente não esperamos de crianças. Controle de si é uma característica de maturidade espiritual. Quando Paulo apresenta o fruto do Espírito, em contraste com as obras da carne, ele inclui domínio próprio (Gálatas 5:22-23). Quando Pedro falou das qualidades que devemos acrescentar em nossas vidas, domínio próprio estava na lista (2 Pedro 1:6). Exercer domínio próprio quer dizer pensar antes de agir, medindo as consequências das nossas decisões: “O prudente vê o mal e esconde-se; mas os simples passam adiante e sofrem a pena” (Provérbios 22:3). “Não é bom proceder sem refletir, e peca quem é precipitado” (Provérbios 19:2).

Um aspecto específico deste domínio próprio é o controle da língua. Tiago disse: “Se alguém não tropeça no falar, é perfeito varão, capaz de refrear também todo o corpo” (Tiago 3:2). Como é difícil dominar a língua! Quantos casamentos são destruídos por palavras não refletidas? Quantas pessoas sofrem sequelas a vida toda por causa das palavras que os pais soltaram sem pensar? Quantas guerras começam por causa das línguas soltas de líderes de nações? Deus ensina a importância do controle das nossas línguas para evitar estes e outros estragos.

Mas algumas pessoas fogem desta responsabilidade, usando desculpas para justificar sua falta de controle da língua. Frequentemente ouvimos alguém dizer: “Eu sou muito sincero” e já tomamos um passo para trás para nos preparar para as palavras crueis e destruidoras que sairão da boca dessa pessoa. Um homem sábio disse: “Alguém há cuja tagarelice é como pontas de espada” (Provérbios 12:18). Acrescentou: “O que guarda a boca conserva a sua alma, mas o que muito abre os lábios a si mesmo se arruína” (Provérbios 13:3). “O homem depravado cava o mal, e nos seus lábios há como que fogo ardente” (Provérbios 16:27). Devemos evitar o erro de falar antes de ouvir: “Responder antes de ouvir é estultícia e vergonha” (Provérbios 18:13).

Controle da língua não significa ficar calado o tempo todo. Significa usar a língua para falar palavras que edificam e conduzem outras pessoas à sabedoria de Deus. Significa controlar a boca e escolher bem as palavras. “O coração do sábio é mestre de sua boca e aumenta a persuasão nos seus lábios” (Provérbios 16:23).

Devemos estender este domínio próprio a outros aspectos das nossas vidas. Num mundo que incentiva a sensualidade e a libertinagem, o discípulo de Cristo precisa exercer controle dos seus desejos e impulsos. Não devemos ceder às tentações da carne, nem devemos ser pessoas impetuosas ou inclinadas à raiva. Quando amadurecemos espiritualmente, aprendemos assumir responsabilidade pelos nossos próprios atos, especialmente quando erramos. Uma criança pode tentar negar a sua culpa, dizendo “aconteceu” ou “foi ele”, mas o homem de verdade assume responsabilidade quando erra e diz “Fui eu”. Sejamos varões!

Agir com Coragem

Agora vamos considerar especificamente o texto já citado em 1 Coríntios 16:13-14 – “Sede vigilantes, permanecei firmes na fé, portai-vos varonilmente, fortalecei-vos. Todos os vossos atos sejam feitos com amor.” Como percebemos pelos outros termos usados nestes versículos, a ênfase na idéia de varonilidade aqui é a coragem de homens. Normalmente pensamos nos homens como aqueles que mostram a coragem de arriscar suas próprias vidas para proteger mulheres e crianças. Nestes versículos, o varão deve:

(1) Ser vigilante. Ele não subestima o inimigo: “Sede sóbrios e vigilantes. O diabo, vosso adversário, anda em derredor, como leão que ruge procurando alguém para devorar” (1 Pedro 5:8). O homem que se acha isento de tentação se posiciona para cair (1 Coríntios 10:12).

(2) Permanecer na fé, resistindo o adversário com firmeza espiritual: “Resisti-lhe firmes na fé” (1 Pedro 5:9). O discípulo de Cristo deve demonstrar a constância de manter a direção na sua vida, independente das circunstâncias. Esta constância é uma qualidade de homens adultos: “...até que cheguemos à unidade da fé e do pleno conhecimento do Filho de Deus, à perfeita varonilidade, à medida da estatura da plenitude de Cristo, para que não mais sejamos como meninos, agitados de um lado para outro e levados ao redor por todo vento de doutrina, pela artimanha dos homens, pela astúcia com que induzem ao erro” (Efésios 4:13-14). Meninos são facilmente derrubados. Homens permanecem firmes.

(3) Fortalecer-se na fé. Uma vez que reconhecemos a necessidade de vigiar e resistir o adversário, vamos procurar crescer espiritualmente, ficando cada vez mais fortes. Para ser um homem de verdade, muitas pessoas precisam superar sua preguiça de ler e aprender a estudarem a Bíblia com disciplina e frequência (Hebreus 5:12-14).

(4) Amar. Quando Paulo diz que todos os nossos atos devem ser feitos com amor, podemos pensar que deixou as características de varões e começou a falar sobre um aspecto mais feminino. Mas o amor, também, é característica do homem! Neste contexto, o amor é o que motiva o homem a ser corajoso. Ele defende a fé porque ele ama a Deus. Ele defende os outros – a família, seus irmãos em Cristo, etc. – porque ele ama estas pessoas e quer o bem delas. O amor exige a coragem de até se sacrificar para o bem dos outros (cf. Efésios 5:25-29).

E Nós? Somos Varões ou Covardes?

Deus mandou Josué expulsar da terra os povos rebeldes que iam levar os israelitas ao pecado, e disse para ele: “Sê forte e corajoso; não temas, nem te espantes, porque o Senhor, teu Deus, é contigo por onde quer que andares” (Josué 1:9). Precisamos da mesma coragem e da mesma confiança no Senhor quando expulsamos o pecado da nossa vida, e quando ajudamos outros a se livrarem do pecado. Mas, na hora de corrigir a pessoa que caiu no pecado, muitos supostos cristãos se mostram covardes. Paulo disse: “Irmãos, se alguém for surpreendido nalguma falta, vós, que sois espirituais, corrigi-o com espírito de brandura” (Gálatas 6:1). Tiago reforçou este ensinamento: “Meus irmãos, se algum entre vós se desviar da verdade, e alguém o converter, sabei que aquele que converte o pecador do seu caminho errado salvará da morte a alma dele e cobrirá multidão de pecados” (Tiago 5:19-20). Não deixemos o medo de perder amizade nos impedir de fazer o que Deus manda. Vamos ter coragem e amar os outros o bastante para falar a verdade e tentar recuperar almas perdidas!

O Perigo de Não Ser Varões

A covardia não faz bem! Precisamos lembrar de dois fatos fundamentais sobre este mal:

(1) O espírito de covardia não vem de Deus (2 Timóteo 1:7).

(2) Os covardes têm lugar reservado no lago de fogo (Apocalipse 21:8). Jesus disse: “Porque qualquer que, nesta geração adúltera e pecadora, se envergonhar de mim e das minhas palavras, também o Filho do Homem se envergonhará dele, quando vier na glória de seu Pai com os santos anjos” (Marcos 8:38).

Tenhamos coragem para entrar na batalha contra o pecado e permanecer firmes. Mostremos a mesma atitude de Paulo: “Pois não me envergonho do evangelho, porque é o poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê...” (Romanos 1:16).

Sejamos Homens de Verdade!

Todos nós – homens, mulheres e jovens – devemos nos comportar como varões espirituais!

 –por Dennis Allan
d177

Leia mais sobre este assunto:
Imitemos Bons Homens
O Homem Bem Sucedido

Exemplos de Péssima Liderança

A Humildade

O Domínio da Língua

Equilíbrio no Falar

Andando no Espírito

Nem Pensar!

Davi e Bate-Seba O pecado de adultério


 

ESTUDOS BÍBLICOS       PESQUISAR NO SITE       MENSAGENS EM ÁUDIO      MENSAGENS EM VÍDEO     

ESTUDOS TEXTUAIS      ANDANDO NA VERDADE     O QUE ESTÁ ESCRITO?      O QUE A BIBLIA DIZ?

 

O Que Esta Escrito?
 
©1994, ©1995, ©1996, ©1997, ©1998, ©1999, ©2000, ©2001, ©2002, ©2003, ©2004, ©2005, ©2006, ©2007, ©2008, ©2009
 Redator: Dennis Allan, C.P. 60804, São Paulo, SP, 05786-970.

Andando na Verdade
©1999, ©2000, ©2001, ©2002, ©2003, ©2004, ©2005, ©2006, ©2007, ©2008
Redator: Dennis Allan, C.P. 60804, São Paulo, SP, 05786-970

Todos os artigos no site usados com permissão dos seus autores e editoras, que retêm direitos autorais sobre seu próprio trabalho. / 
All of the articles on this site are used with permission of their authors and publishers, who retain rights of use and copyright control over their own work.

Estudos Bíblicos
estudosdabiblia.net
©1995-2015 Karl Hennecke, USA