Share Button

Salmo 142: Ao SENHOR Ergo a Minha Voz

O título do Salmo 142 diz que essa oração foi feita por Davi quando estava na caverna. Durante sua fuga de Saul, relatada em 1 Samuel 22 – 24, Davi entrou em cavernas em, pelo menos, duas ocasiões: na caverna de Adulão (1 Samuel 22:1) e em uma no deserto de Em-Gedi (1 Samuel 24:1-3). A oração registrada no Salmo 142 pode ser de uma dessas cavernas. Pela ênfase no estado solitário do autor, sem amparo de homens, parece mais provável que seja do início de 1 Samuel 22, antes de chegarem os 400 homens que se aliaram a ele. O Salmo 142 é pequeno, composto de apenas sete versos, mas repleto de sentido e emoção. Consideremos essa oração de Davi da caverna.

“Ao SENHOR ergo a minha voz e clamo, com a minha voz suplico ao SENHOR. Derramo perante ele a minha queixa, à sua presença exponho a minha tribulação” (versos 1 e 2). A oração de Davi poderia ter sido silenciosa, uma expressão do coração claramente visível para Deus. Mas ele clamou e suplicou em alta voz, e ainda registrou para outros o conteúdo da sua oração íntima. Do coração da caverna, Davi se abriu com Deus e comunicou sobre suas angústias.

“Quando dentro de mim me esmorece o espírito, conheces a minha vereda, no caminho em que ando, me ocultam armadilha” (verso 3). Quando tudo vai bem e achamos que temos controle das nossas circunstâncias, é fácil afirmar nossa confiança no Senhor. Mas quando estamos sozinhos e isolados, fechados em lugares que parecem não ter saídas, conseguimos orar com confiança ao Senhor? É uma coisa confiar em Deus quando andamos em ruas bem iluminadas que nós mesmos escolhemos; é outra confiar nele quando não conseguimos enxergar um passo pela frente. Davi estava literalmente dentro de uma caverna, talvez rastejando no chão para se esconder dos seus perseguidores. Ele não sabia o que vinha pela frente, mas Deus sabia, e Davi achou conforto nesse fato.

“Olha a minha direita e vê, pois não há quem me reconheça, nenhum lugar de refúgio, ninguém que por mim se interesse” (verso 4). Pouco tempo antes, Davi contava com o apoio de uma boa parte do povo de Israel, dos sacerdotes, da sua mulher (filha do rei que o perseguia) e do seu melhor amigo (filho do mesmo rei). Agora, ele estava tentando sobreviver, sem saber como. É bom quando temos família, amigos e irmãos espirituais para nos ajudar, mas a falta e as falhas das outras pessoas nunca justificam nosso afastamento do Senhor.

“A ti clamo, SENHOR, e digo: tu és o meu refúgio, o meu quinhão na terra dos viventes” (verso 5). Mesmo quando sentimos decepcionados com outros seres humanos, Deus é fiel. Davi não se esqueceu disso! Achou refúgio em Deus. A palavra quinhão significa parte ou parcela, às vezes usada da porção da herança que pertencia a uma pessoa. Davi não precisava de coisas nessa terra, pois sua porção era o próprio Senhor. O ditado popular “O pouco com Deus é muito, e o muito sem Deus é nada” se baseia claramente em princípios bíblicos. “Melhor é o pouco, havendo o temor do SENHOR, do que grande tesouro onde há inquietação” (Provérbios 15:16). No momento em que Davi orou do fundo da caverna, ele estava em uma posição melhor do que a segurança do rei no palácio!

“Atendo o meu clamor, pois me vejo muito fraco. Livra-me dos meus perseguidores, pois são mais fortes do que eu” (verso 6). Admitir a força dos adversários não é sinal de fraqueza. Davi não subestimava o poder dos seus perseguidores, nem se gabava da sua própria força. Até aí, ele foi igual aos espiões covardes que se viam como gafanhotos diante dos gigantes de Canaã (Números 13:33). Até aí! A diferença é que Davi reconhecia a grandeza de Deus e confiou no Senhor para dar livramento. Os israelitas olharam para os gigantes e não conseguiram ver Deus!

“Tira a minha alma do cárcere, para que eu dê graças ao teu nome; os justos me rodearão, quando me fizeres esse bem” (verso 7). A verdadeira adoração e as grandes orações nas Escrituras refletem o mesmo foco: Deus. Davi não procurou livramento por motivos egoístas, mas para poder servir e honrar ao Senhor, incentivando outros a glorificarem a Deus. Encontramos outros exemplos em Salmo 51:12-13; Daniel 9; Esdras 9:5-15; Filipenses 1:20-26 etc.

Afirmar confiança em Deus do topo da montanha é fácil. Confiar de fato, quando está no fundo de uma caverna, demonstra a verdadeira fé. Davi nos deixou um excelente exemplo nesse Salmo!

-por Dennis Allan


ESTUDOS BÍBLICOS       PESQUISAR NO SITE       MENSAGENS EM ÁUDIO      MENSAGENS EM VÍDEO     

ESTUDOS TEXTUAIS      ANDANDO NA VERDADE     O QUE ESTÁ ESCRITO?      O QUE A BIBLIA DIZ?

 

O Que Esta Escrito?
 
©1994, ©1995, ©1996, ©1997, ©1998, ©1999, ©2000, ©2001, ©2002, ©2003, ©2004, ©2005, ©2006, ©2007, ©2008, ©2009
 Redator: Dennis Allan, C.P. 500 -- Jarinu – SP -- CEP: 13240-970

Andando na Verdade
©1999, ©2000, ©2001, ©2002, ©2003, ©2004, ©2005, ©2006, ©2007, ©2008
Redator: Dennis Allan, C.P. 500 -- Jarinu – SP -- CEP: 13240-970

Todos os artigos no site usados com permissão dos seus autores e editoras, que retêm direitos autorais sobre seu próprio trabalho. / 
All of the articles on this site are used with permission of their authors and publishers, who retain rights of use and copyright control over their own work.

Estudos Bíblicos
estudosdabiblia.net
©1995-2017 Karl Hennecke, USA