Share Button

Salmo 39: Todo Homem é Pura Vaidade

Jedutum, cujo nome significa louvar ou celebrar, é citado nos cabeçalhos de três dos Salmos (39, 62 e 77). Pelas citações do mesmo nome em outros livros do Antigo Testamento, percebemos o papel importante desse homem na adoração dos judeus. Quando a arca de Deus foi levada a Jerusalém, Jedutum foi um dos homens escolhidos por Davi para conduzir os louvores (1 Crônicas 16:41-42). Depois da morte de Davi, quando Salomão edificou o templo em Jerusalém, Jedutum e seus filhos continuaram nesse serviço importante (2 Crônicas 5:12-13). Os descendentes de Jedutum, junto com outras famílias, foram encarregados com o aspecto musical do serviço no santuário em Jerusalém (1 Crônicas 25). A comparação de textos que falam sobre esses servos sugere a possibilidade de Jedutum ser o mesmo homem citado em algumas passagens pelo nome Etã (1 Crônicas 15:17; 25:1; 35:15). Em algumas traduções do cabeçalho do Salmo 39, ele é identificado como o mestre de canto. Em outras, parece ser o responsável pelo estilo adotado no uso do hino. Em todos os aspectos dessas informações, percebemos a importância do Salmo por ser colocado nas mãos de pessoas tão dedicadas à adoração do Senhor.

O pano de fundo desse cântico foi a dor que levou Davi a refletir seriamente sobre sua própria mortalidade e a fragilidade da vida de todos. Duas vezes ele afirma que “todo homem é pura vaidade” (versos 5 e 11). Essa expressão, que descreve algo que não tem permanência ou substância, foi traduzida na Nova Versão Internacional (NVI) desta forma: “De fato, o homem não passa de um sopro”. A aflição de Davi o levou a pensar sobre a fragilidade da vida terrestre.

Davi conta a sua experiência em tons que nos lembram do Salmo 73, onde Asafe explica como ele lidou com sua própria crise espiritual. No Salmo 39, o rei diz que resolveu se manter calado, até não falando sobre o bem na presença dos ímpios (versos 1 a 3). Ele decidiu se calar para não pecar, talvez evitando que algum comentário irrefletido prejudicasse a fé dos outros. Conforme aumentou seu sofrimento, cresceram as emoções e a vontade de falar. Davi ainda não abriu a boca para pôr uma pedra de tropeço diante dos homens. Ele dirigiu suas palavras a Deus: “Dá-me a conhecer, SENHOR, o meu fim e qual a soma dos meus dias, para que eu reconheça a minha fragilidade” (verso 4). Não fica claro se Davi lamentava a brevidade da vida (como nos versos seguintes) ou desejava a morte para pôr fim ao seu sofrimento, como fizeram o profeta Elias (1 Reis 19:4) e o sofredor Jó (Jó 7:15).

Mesmo se Davi pensara na saída que a morte traria, ele logo voltou a perceber o valor da vida no serviço ao Senhor. Ele reconheceu Deus como a única fonte de esperança (verso 7) e conforto, porque não queria deixar de existir (verso 13).

Ao longo desse hino, Davi ensina alguns fatos importantes:

(1) A fragilidade da vida de todos os homens. Davi buscou mais entendimento sobre a brevidade da vida: “Dá-me a conhecer, SENHOR, o meu fim e qual a soma dos meus dias, para que eu reconheça a minha fragilidade. Deste aos meus dias o comprimento de alguns palmos; à tua presença, o prazo da minha vida é nada. Na verdade, todo homem, por mais firme que esteja, é pura vaidade” (versos 4 e 5).

(2) A preocupação em acumular riquezas nesta vida é fútil: “Com efeito, passa o homem como uma sombra; em vão se inquieta; amontoa tesouros e não sabe quem os levará” (verso 6). Mil anos depois de Davi, Jesus frisou a mesma verdade em uma parábola (Lucas 12:20), e ensinou seus seguidores a investirem na eternidade, não nesta vida terrestre (Mateus 6:19-21; João 6:27).

(3) Deus castiga os pecadores, que precisam fazer como Davi e procurar o livramento que só o Senhor pode providenciar: “Livra-me de todas as minhas iniquidades; não me faças o opróbrio do insensato... Tira de sobre mim o teu flagelo; pelo golpe de tua mão, estou consumido” (versos 8 e 10).

Precisamos aprender o que o rei Davi entendeu: a vida é curta e deve ser usada para conhecer e honrar o nosso Criador.

-por Dennis Allan


ESTUDOS BÍBLICOS       PESQUISAR NO SITE       MENSAGENS EM ÁUDIO      MENSAGENS EM VÍDEO     

ESTUDOS TEXTUAIS      ANDANDO NA VERDADE     O QUE ESTÁ ESCRITO?      O QUE A BIBLIA DIZ?

 

O Que Esta Escrito?
 
©1994, ©1995, ©1996, ©1997, ©1998, ©1999, ©2000, ©2001, ©2002, ©2003, ©2004, ©2005, ©2006, ©2007, ©2008, ©2009
 Redator: Dennis Allan, C.P. 500 -- Jarinu – SP -- CEP: 13240-970

Andando na Verdade
©1999, ©2000, ©2001, ©2002, ©2003, ©2004, ©2005, ©2006, ©2007, ©2008
Redator: Dennis Allan, C.P. 500 -- Jarinu – SP -- CEP: 13240-970

Todos os artigos no site usados com permissão dos seus autores e editoras, que retêm direitos autorais sobre seu próprio trabalho. / 
All of the articles on this site are used with permission of their authors and publishers, who retain rights of use and copyright control over their own work.

Estudos Bíblicos
estudosdabiblia.net
©1995-2017 Karl Hennecke, USA