Estudos Bíblicos

Jesus, Justo

É comum ouvir pessoas falarem da justiça divina. Frequentemente, o pensamento é que Deus me vindicará ao castigar quem me fez mal. Raramente pensamos que Deus pode nos castigar, nem pensamos em Jesus nesse papel de aplicar a punição. A Bíblia, porém, apresenta Jesus como o Justo Juiz que punirá os rebeldes e infiéis.

É fácil se confundir ao isolar afirmações de Jesus sem entender o estilo de linguagem e o contexto maior. Por exemplo, ele disse: “Se alguém ouvir as minhas palavras e não as guardar, eu não o julgo. Porque eu não vim para julgar o mundo, e sim para salvá-lo” (João 12:47). A linguagem dele não é de exclusão absoluta, dizendo que jamais julgaria o mundo. Pelo contrário, a construção prioriza uma coisa (salvar) sobre outra (julgar). A prioridade de Jesus é a salvação de todos, mas aqueles que o rejeitam serão julgados por ele, como ele mesmo afirma em outros textos.

O papel de Jesus como Juiz é uma maneira de mostrar sua divindade, pois ele merece a mesma honra devida ao Pai: “E o Pai não julga ninguém, mas confiou todo julgamento ao Filho, para que todos honrem o Filho assim como honram o Pai. Quem não honra o Filho não honra o Pai que o enviou” (João 5:22-23). Desrespeito para com Jesus é a rejeição do Pai.

Os apóstolos reforçaram o ensinamento de Jesus sobre seu papel de Juiz. Pedro apresentou Jesus como Juiz de todos: “Jesus nos mandou pregar ao povo e testemunhar que ele foi constituído por Deus como Juiz de vivos e de mortos” (Atos 10:42). Ao pregar em Atenas, Paulo se referiu a Jesus como o homem escolhido por Deus quando disse: “Porque Deus estabeleceu um dia em que julgará o mundo com justiça, por meio de um homem que escolheu. E deu certeza disso a todos, ressuscitando-o dentre os mortos” (Atos 17:31). Os pregadores na igreja primitiva claramente entendiam que Jesus julgará todos.

Todo o restante do Novo Testamento defende a mesma tese. Escrevendo aos coríntios, Paulo frisou a importância de fidelidade até ao fim e disse: “É por isso que também nos esforçamos para ser agradáveis a ele, quer presentes, quer ausentes. Porque é necessário que todos nós compareçamos diante do tribunal de Cristo, para que cada um receba segundo o bem ou o mal que tiver feito por meio do corpo” (2 Coríntios 5:9-10).

Julgamento, no sentido de declarar o destino eterno das pessoas, é o trabalho exclusivo de Deus. Jesus, sendo Deus, julgará todos! Devemos honrar o Senhor Jesus e obedecer a palavra dele.

-por Dennis Allan

A Divindade de Jesus: Outros Artigos

ESTUDOS BÍBLICOS       PESQUISAR NO SITE       MENSAGENS EM ÁUDIO      MENSAGENS EM VÍDEO     

ESTUDOS TEXTUAIS      ANDANDO NA VERDADE     O QUE ESTÁ ESCRITO?      O QUE A BIBLIA DIZ?

 

O Que Esta Escrito?
 
©1994, ©1995, ©1996, ©1997, ©1998, ©1999, ©2000, ©2001, ©2002, ©2003, ©2004, ©2005, ©2006, ©2007, ©2008, ©2009
 Redator: Dennis Allan, C.P. 500 -- Jarinu – SP -- CEP: 13240-970

Andando na Verdade
©1999, ©2000, ©2001, ©2002, ©2003, ©2004, ©2005, ©2006, ©2007, ©2008
Redator: Dennis Allan, C.P. 500 -- Jarinu – SP -- CEP: 13240-970

Todos os artigos no site usados com permissão dos seus autores e editoras, que retêm direitos autorais sobre seu próprio trabalho. / 
All of the articles on this site are used with permission of their authors and publishers, who retain rights of use and copyright control over their own work.

Estudos Bíblicos
estudosdabiblia.net
©1995-2020 Karl Hennecke, USA