Estudos Bíblicos

Sermão do Monte (29)

Aflição Inútil

“Quando vocês jejuarem, não fiquem com uma aparência triste, como os hipócritas; porque desfiguram o rosto a fim de parecer aos outros que estão jejuando. Em verdade lhes digo que eles já receberam a sua recompensa. Mas você, quando jejuar, unja a cabeça e lave o rosto, a fim de não parecer aos outros que você está jejuando, e sim ao seu Pai, em secreto. E o seu Pai, que vê em secreto, lhe dará a recompensa” (Mateus 6:16-18).

Durante a vigência da Lei de Moisés, o jejum foi a maneira comum de afligir ou humilhar a alma, a exigência da comemoração anual do Dia de Expiação (Levítico 16:31). Essa aflição demonstrava a tristeza por causa do pecado na procura da presença do Senhor. Os judeus jejuavam em ocasiões de tristeza. Até a época de Jesus, porém, jejuar se tornou uma maneira de mostrar a espiritualidade para os outros, e assim alguns religiosos se gabavam da frequência dos jejuns (Lucas 18:11-12) e chamava atenção ao sofrimento dessa aflição. Dessa maneira, o jejum perdeu seu significado. No lugar de humilhação, servia para auto exaltação. Quando a aflição deveria ser para se aproximar de Deus, esses religiosos jejuavam publicamente para ganhar a honra dos outros seres humanos.

A orientação de Jesus contrariou totalmente essa perversão hipócrita dos jejuns. Ele colocou a prática de volta no seu devido lugar, um ato particular e íntimo entre a pessoa e Deus.

Com a morte de Jesus e a transição da Antiga à Nova Aliança, o lugar do jejum mudou. Os cristãos não têm nenhuma festa anual de humilhação coletiva. Enquanto o Dia da Expiação servia para relembrar os judeus do peso do pecado, os cristãos se reúnem semanalmente para focalizar o livramento do pecado realizado no sacrifício de Jesus (Lucas 22:19-20; Atos 20:7). Os seguidores de Jesus andam na luz da presença do Senhor (1 João 1:5-7) confortados em entender que ele habite nos fiéis (João 14:23). O próprio Jesus disse que o jejum não faz sentido para quem está na presença dele (Lucas 5:34).

Isso significa que cristãos nunca jejuam? Não. Os cristãos primitivos jejuavam em momentos de grandes decisões (Atos 13:2-3; 14:23). Qualquer cristão pode enfrentar situações em que voluntariamente se humilha, talvez em tristeza por causa dos seus próprios pecados contra Deus, e decide se abster de comida para buscar a comunhão mais íntima com Deus. Quando se faz assim, outros nem perceberão, porque o verdadeiro discípulo não jejua para chamar atenção para si.

-por Dennis Allan


Sermão do Monte (Série)

ESTUDOS BÍBLICOS       PESQUISAR NO SITE       MENSAGENS EM ÁUDIO      MENSAGENS EM VÍDEO     

ESTUDOS TEXTUAIS      ANDANDO NA VERDADE     O QUE ESTÁ ESCRITO?      O QUE A BIBLIA DIZ?

 

O Que Esta Escrito?
 
©1994, ©1995, ©1996, ©1997, ©1998, ©1999, ©2000, ©2001, ©2002, ©2003, ©2004, ©2005, ©2006, ©2007, ©2008, ©2009
 Redator: Dennis Allan, C.P. 500 -- Jarinu – SP -- CEP: 13240-970

Andando na Verdade
©1999, ©2000, ©2001, ©2002, ©2003, ©2004, ©2005, ©2006, ©2007, ©2008
Redator: Dennis Allan, C.P. 500 -- Jarinu – SP -- CEP: 13240-970

Todos os artigos no site usados com permissão dos seus autores e editoras, que retêm direitos autorais sobre seu próprio trabalho. / 
All of the articles on this site are used with permission of their authors and publishers, who retain rights of use and copyright control over their own work.

Estudos Bíblicos
estudosdabiblia.net
©1995-2020 Karl Hennecke, USA